quinta-feira, 29 de março de 2012

Organizando os brinquedos: aprendizado até na hora de guardar!

Dicas infalíveis para organizar de vez os brinquedos da garotada: em casa, na casa da vovó, na escola ou até mesmo em brinquedotecas, espaço psicopedagógico. Assitam o vídeo!
 

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Conheça as diferenças entre os métodos de alfabetização

Fônico
Enfatiza as relações símbolo-som. Há duas "correntes". Na sintética, o aluno conhece os sons representados pelas letras e combina esses sons para pronunciar palavras. Na analítica, o aluno aprende primeiro uma série de palavras e depois parte para a associação entre o som e as partes das palavras. Pode utilizar cartilhas.

Linguagem total ("whole language")
Defende que os sistemas linguísticos estão interligados, e que a segmentação em imagens ou sons deve ser evitada. Os estudantes são apresentados a textos inteiros, já que acredita-se que "se aprende lendo". Em sala de aula, o professor lê textos para os alunos, que acompanham a leitura com o mesmo texto, assim se "familiarizando" com a linguagem escrita. A partir dessa familiarização, vão aprendendo palavras e, depois, as sílabas e as letras. Não utiliza cartilhas.

Orientação dos PCNs
Diagnóstico prévio do aluno antes de optar por qualquer método. Algumas crianças entram na primeira série sabendo ler. O professor lê textos em voz alta e é acompanhado pela classe, que tem em mãos os mesmos textos. Os alunos são estimulados a copiar textos com base em uma situação social pré-existente: por exemplo, eles ouvem poesias e compõem, por cópia ou colagem, seus cadernos de poemas favoritos. A leitura em voz alta por parte dos estudantes é substituída por encenações de situações que foram lidas, desenhos que ilustram os trechos lidos etc. As crianças aprendem a escrever em letra de forma; a consciência fônica é uma consequência. Não utiliza cartilhas.

Alfabético
Os alunos primeiro identificam as letras pelos seus nomes, depois soletram as sílabas e, em seguida, as palavras antes de lerem sentenças curtas e, finalmente, histórias. Quando os alunos encontram palavras desconhecidas, as soletram até decodificá-las. Pode utilizar cartilhas.

Analítico
Também conhecido como método "olhar-e-dizer", começa com unidades completas de linguagem e mais tarde as divide em partes. Exemplo: as sentenças são divididas em palavras, e as palavras, em sons. O "Orbis Sensualium Pictus" é considerado o primeiro livro escolar importante. Abaixo das gravuras estavam os nomes impressos para que os estudantes memorizassem as palavras, sem associá-las a letras e sons. Pode utilizar cartilhas.

Sintético
Começa a ensinar por partes ou elementos das palavras, tais como letras, sons ou sílabas, para depois combiná-los em palavras. A ênfase é a correspondência som-símbolo. Pode utilizar cartilhas.



Fonte: Folha Online |  Por Cynara menezes (free-lance para a Folha de S.Paulo)
Link: http://www1.folha.uol.com.br/folha/sinapse/ult1063u642.shtml

ABC da alfabetização

Dicas práticas para ajudar seu filho a aprender a ler e a escrever sem qualquer dificuldade

 Click no link abaixo: 
Fonte: Educar para Crescer
 

ALFABETIZAÇÃO

Por onde começar? Quando meus alunos precisam estar alfabetizados? Pode-se alfabetizar na Educação Infantil? Tire estas e outras dúvidas sobre alfabetização

 Estimular a leitura é o primeiro passo para incentivar a escrita

 Inserir todas as crianças de seis anos em um ambiente alfabetizador foi um dos principais objetivos da aprovação do Ensino Fundamental de 9 anos, em fevereiro de 2006. A medida beneficiou crianças que não tinham acesso à Educação Infantil, ficando, muitas vezes, completamente distantes da cultura escrita - o que poderia representar um obstáculo para a sua experiência futura de alfabetização.

Para pensar

"A minha contribuição foi encontrar uma explicação segundo a qual, 
por trás da mão que pega o lápis, dos olhos que olham, 
dos ouvidos que escutam, 
há uma criança que pensa." 
(Emília Ferreiro)

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Brincadeiras para inspirar e usar com seus filhos

Conheça dez das 101 Idéias para Curtir com Seu Filho, um livro para você aproveitar todos os dias

Brincar com tinta, jantar na sala, tomar chuva, levar 20 amigos dos filhos para dormir em casa. Quanta coisa a gente pode fazer para aproveitar melhor o tempo com os filhos? E a gente se diverte muito com eles. Como isso sempre fez parte da minha vida, juntei várias dicas e agrupei no livro 101 Idéias para Curtir com Seu Filho (Antes de ele completar 10 anos), que a Editora Globo lançou. Com prefácio de Denise Fraga e ilustrações de Mariana Massarani, o livro traz inspirações como estas dez que selecionamos aqui. 

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

BENEFÍCIOS DA DANÇA NA EDUCAÇÃO DAS CRIANÇAS


Atualmente, a dança na vida da criança deixou de ser somente uma formação artística, e passou a fazer parte do seu desenvolvimento como ser humano.

A dança desenvolve estímulos como:
  • Tátil - sentir os movimentos e seus benefícios para o corpo;
  • Visual - ver os movimentos e transformá-los em atos;
  • Auditivo - ouvir a música e dominar seu ritmo;
  • Afetivo - emoções e sentimentos transpostos na coreografia;
  • Cognitivo - raciocínio, ritmo, coordenação;
  • Motor - esquema corporal, coordenação motora associada ao equilíbrio e  flexibilidade
A dança, portanto, é um benefício! A criança adquire confiança e maturidade, desenvolvendo habilidades e luta pela conquista.

Fonte: Projeto Dons
Disponível em: http://donsdoieps.blogspot.com

Leia também...